TRATAMENTOS NATURAIS/ S&L AGOSTO 2009

À medida que a idade do homem avança, é comum a glândula da próstata aumentar. Aos cinquenta anos, 50% dos homens têm aumento da próstata e aos 70 anos esse número sobe para 75%. É muito importante um diagnóstico correcto para que se exclua a malignidade, especialmente porque as duas situações podem coexistir. Mesmo sem que haja cancro, o aumento da próstata pode causar problemas graves.
Este aumento causa uma necessidade de urinar com frequência, com o resultado clássico de ter que urinar várias vezes durante a noite. Como a glândula da próstata está localizada mesmo por baixo da bexiga, com a uretra a passar pelo meio, o aumento causa, normalmente, obstrução da uretra. Há uma consequente dificuldade na passagem da urina, e de esvaziar completamente a bexiga, ou até retenção de urinas.
O aumento do tamanho da próstata parece ser devido a mudanças hormonais relacionadas com a idade. Os níveis de testosterona diminuem e os de algumas hormonas femininas – estradiol e prolactina – aumentam, provocando um aumento de uma hormona poderosa que faz com que as células da próstata proliferem.
Até uma altura relativamente recente, o único tratamento era a cirurgia. Agora, foram sintetizados medicamentos que evitam a formação da hormona que causa o crescimento das células da próstata. Infelizmente, essa medicação só faz efeito em alguns homens: os medicamentos mais comuns, apenas em 40-50% dos casos. E podem levar até seis meses a fazer efeito. Além disso, alguns homens experimentam efeitos colaterais, particularmente no que diz respeito às funções sexuais (especialmente durante o primeiro ano de tratamento).

missing image filePrevenir é melhor do que remediar
Como é habitual, a prevenção é melhor do que a cura. A seguinte escolha de alimentos também poderá ajudar a melhorar a situação:
1. Evite os lacticínios. Estudos epidemiológicos parecem indicar que o consumo de produtos lácteos têm um papel importante no aumento, não só deste processo, mas também do cancro da próstata.
2. Escolha grãos integrais em vez de alimentos processados. O zinco é essencial para a saúde da próstata, e é encontrado em concentrações elevadas no gérmen de trigo, uma parte do cereal que se perde muito quando este é refinado. A deficiência em zinco tem sido ligada ao aumento da próstata, e o zinco tem provado causar a diminuição do seu tamanho.
3. Evite gordura de origem animal. Toda a gordura de origem animal contém colesterol, que também tem sido ligada tanto ao aumento da próstata, como ao cancro da próstata.
4. Coma, diariamente, oleaginosas e sementes. São ricas em aminoácidos que ajudam a diminuir uma próstata aumentada.
5. As sementes de abóbora merecem uma nota especial. Há muitos anos que são recomendadas, e, agora, há estudos a confirmar a sua eficácia. Hoje, sabemos que contêm químicos que evitam a formação da hormona que faz proliferar as células da próstata, são uma boa fonte de zinco e fornecem os aminoácidos que contrariam o aumento da próstata. Coma cerca de 50g por dia.

missing image filePlantas medicinais para o aumento não-canceroso da próstata
Felizmente, esta é uma área em que as plantas medicinais têm beneficiado de muitas experiências clínicas. As que se seguem têm-se mostrado particularmente eficazes no tratamento desta situação:
> A palmeira-anã (Serenoa repens) é, talvez, o mais conhecido e bem aceite de todos os medicamentos naturais contra o aumento da próstata, pois, tal como muita da medicação usada, reduz a formação da referida hormona. Também parece diminuir a inflamação da glândula da próstata. Muitos estudos mostraram que dentro de apenas quatro a seis semanas, com uma dosagem diária de 1-2g (ou 320mg de extracto) se diminui a micção frequente, melhora o fluxo de urina e o esvaziamento da bexiga. Não tem efeitos adversos significantes e está agora disponível em farmácias sob a forma de medicamento sujeito a receita médica.missing image file
> A ameixa-africana (Pygeum africanun) é outra planta que tem um efeito similar. Uma dosagem diária de 100mg provou, em muitos estudos à volta do mundo, ser eficaz para aliviar os sintomas do aumento da próstata. Tal como a palmeira-anã, a ameixa-africana não tem efeitos adversos reconhecidos. É muito usada na Europa e também pode ser encontrada nas farmácias portuguesas, sob a forma de medicamento sujeito a receita médica.
> De acordo com vários estudos, a urtiga (Urtica dioica) trata, com sucesso, os sintomas. O seu mecanismo de acção é similar, e os seus efeitos colaterais são de menor importância. Pode ser usada sob a forma de extracto (certifique-se de que evita os que contêm álcool) ou como chá, feito com 1,5g de pó de raiz seca por chávena de água, 3-4 vezes ao dia.
Seguir as recomendações gerais e tomar uma ou mais plantas medicinais, seria o ideal para qualquer homem que esteja a viver os problemas de um aumento, não-canceroso, da próstata.

Marianne Ferreira
Médica

missing image file