TRATAMENTOS NATURAIS/S&L JULHO 2010

Alimentação rica em fibras, ou pobre em fibras? Essa parece ser a questão neste assunto. A controvérsia continua...
A diverticulose (pequenos quistos ou bolsas na parede do cólon) é muito comum; está presente em mais de 50% dos ocidentais de 60 anos de idade. Contudo, só cerca de 1 em 10 desenvolverão sintomas: normalmente dores e cólicas abdominais (normalmente no lado esquerdo inferior do abdómen), podendo também incluir náuseas, febre e perda de sangue nas fezes. Diverticulite é o nome dado à infecção/inflamação de um ou mais destes pequenos sacos.
A causa? Prisão de ventre. Com as fezes duras, a pressão dentro do cólon aumenta numa tentativa de forçar o conteúdo intestinal a avançar. Isso faz com que essas anormalidades, do feitio de sacos, se formem em pontos fracos. Pelo contrário, tanto a diverticulose como a prisão de ventre não existem em culturas com uma alimentação rica em fibras.
Durante muitos anos, quase todos os médicos advogavam uma alimentação pobre em fibras para tratar a diverticulose. Isso envolvia a restrição de muitos alimentos (farelo, fruta ou vegetais, por exemplo, eram excluídos), e os resultados não foram positivos. Nos anos de 1970, a investigação mostrou que uma alimentação rica em fibras, com muita fruta e vegetais, cereais integrais e pão feito com farinha integral, melhorava significativamente os sintomas em quase 9 em 10 pessoas com diverticulose.
É interessante notar que as doenças ligadas a este problema são a obesidade, as doenças cardíacas, a diabetes e as pedras na vesícula – todas reconhecidas como doenças do estilo de vida. Há, também, uma ligação com o stresse, que piora os sintomas, tal como o faz o tabagismo.

missing image fileTratando a doença diverticular
1. Previna a prisão de ventre aumentando a fibra que ingere, bebendo muita água e fazendo muito exercício. Estes são os pontos mais importantes, tanto para evitar a formação de diverticulose, como para diminuir os seus sintomas e complicações (diverticulite).
2. Sementes de linhaça moídas, 1-3 colheres de sopa por dia, com muita água, geralmente ajuda a prevenir a prisão de ventre e os sintomas de se desenvolverem. Se os sintomas já estiverem presentes, é recomendada esta dose 3 vezes por dia. As sementes de linhaça têm propriedades anti-inflamatórias e suavizantes, sendo, ainda, ricas em fibras.
missing image filemissing image file3. As sementes de psílio também ajudam a evitar a diverticulose e os seus sintomas, ao promoverem uma melhor função do cólon. A dose média é de 2 colheres de sopa por dia com um grande copo de água.
4. O farelo de trigo ainda é a fonte mais eficaz e barata de fibra.
5. Durante um ataque agudo de diverticulite (inflamação), é aconselhável consumir, temporariamente, apenas líquidos e “comida para bebé” – tudo passado.
6. Os comprimidos de carvão vegetal ajudam a reduzir a inflamação e a absorver as toxinas e substâncias inflamatórias. Num ataque agudo, ou se os sintomas estiverem presentes, tome 4 comprimidos com um grande copo de água. Lembre-se, apenas, para não tomar carvão ao mesmo tempo que outros medicamentos, pois evitará a absorção da medicação.
missing image file7. O Slippery Elm (Ulmus rubra) tem um efeito suavizante e anti-inflamatório sobre a mucosa irritada do intestino. Também tem uma suave acção laxativa, que ajuda a aliviar o desconforto. É muito bom para ser tomado quando a diverticulite ataca.
8. Se os sintomas se agravam, um quarto de chávena de aloés vera depois de cada refeição ajuda a reduzir a inflamação e a melhorar as funções intestinais, evitando a prisão de ventre.
9. O chá de camomila tem um efeito calmante sobre o tracto intestinal e pode ser útilquando estão presentes sintomas moderados.
10. Por vezes, a diverticulite aguda pode fazer a pessoa adoecer com gravidade, causando febre e calafrios, vómitos e até uma diarreia com sangue. Neste caso, é melhor consultar um médico, pois poderão ser necessários antibióticos.

missing image fileO Valor das leguminosas
É verdade que as leguminosas fornecem-nos as melhores proteínas que podemos desejar. Contudo, perguntam-nos algumas Leitoras: E quantas calorias é que elas nos dão? Para poder aproveitar cada uma delas sem peso na consciência, veja as calorias contidas em porções de 100 gramas de cada um destes grãos:
missing image fileMmissing image fileilho verde 129 cal.
Soja 400 cal.
Lentilhas 340 cal.
Feijão branco (grão seco) 350 cal.
Feijão catarino (grão seco) 337 cal.
Grão-de-bico 364 cal.
Amendoim 595 cal.
missing image fileErvilha seca 343 cal.
Ervilha (vagem) 343 cal.
Feijão-verde 36 cal.

Marianne Ferreira
Médica